Começava uma aventura no continente, que misturava trabalho e viagens, e que durou um ano. Escolhemos iniciar pela Tailândia, onde passamos o primeiro mês viajando. Como nosso budget era pequeno, quase minúsculo (rs), rumamos para a notória Khao San Road, a vibrante e mais famosa rua de mochileiros da Ásia.

Só que mesmo gastando US$10 por noite na nossa pousadinha da Khao San, eu já amava a hotelaria (e sonhava alto! rs), e uma visita a um dos hotéis mais famosos do mundo se fez indispensável. E esse hotel, que tanto me encantou, era justamente o maravilhoso Hotel Mandarin Oriental Bangkok.

Se dissesse pra vocês que me lembro do que vi naquela ocasião estaria mentindo. Não me lembro dos detalhes, é claro, mas é impossível esquecer a impacto que o hotel me causou já naquela época.

E foi com esse sentimento em mente, que voltei ao Mandarin Oriental Bangkok, 25 anos depois. Mais madura e experiente, com o olhar mais apurado e com muita expectativa para rever essa propriedade, que é uma das flagships do Grupo Mandarin Oriental no mundo. E, indiscutivelmente, um dos hotéis mais bonitos do planeta.

 

O Hotel

Poucos hotéis no mundo tem uma História tão interessante quanto o Mandarin Oriental Bangkok. Pois tudo começou em 1860 quando o Capitão James White abriu uma hospedaria às margens do Rio Chao Praya, no que era então o Reino do Sião. Três anos mais tarde, e já sob nova administração, o local foi batizado Oriental Hotel. Em 1965 parte do hotel foi destruído pelo fogo, mas em 1976, já com uma “Garden Wing”, ou Ala do Jardim, construída, é que o Oriental Hotel é então oficialmente inagurado.

Durante as décadas seguintes, o “The Oriental” virou o primeiro hotel de luxo do país e recebeu muitos hóspedes ilustres. Dentre eles os autores Somerset Maugham, Wilbur Smith and John Le Carre.

A homenagem aos ilustres hóspedes é feita através do maravilhoso Author’s Wing, o belíssimo prédio original do hotel. Neste mesmo prédio encontramos a icônica Grand Royal Suite, umas das mais bonitas suítes de hotel do mundo, que ocupa um andar inteiro sozinha (foto abaixo).

Através dos anos, o hotel foi se firmando como um dos hotéis mais queridos e famosos do mundo. O prédio centenário e o charme colonial aliados ao serviço e localização impecáveis do hotel, e mais a beleza  dos novos cômodos provaram ser uma receita vencedora para o Mandarin Oriental Bangkok. Posso afirmar sem medo, que o hotel é um dos meus favoritos no mundo.

As Garden e Author’s Wings , passaram por uma baita reforma em 2016 e agora foi a vez da River Wing, a ala mais moderna do hotel, que abriu em Dezembro de 2019 depois de maior reforma da História do hotel.

Localização

A localização do hotel é um dos pontos altos do Mandarin Oriental Bangkok. Situado as margens do Rio Chao Praya, o hotel tem uma localização central, pois fica perto de tudo, mas ao mesmo tempo exclusiva, por estar virado para o rio.

Dividido em duas propriedades, uma de cada lado do Rio Chao Praya, o hotel consegue transformar essa divisão num dos pontos mais charmosos do local. Um barco lindo, de propriedade do hotel, faz a travessia de um lado a outro nesse ponto do rio, que é extremamente movimentado e interessante.

De um lado, o hotel em si, com o prédio centenário e suas lindas suítes e o anexo, que abriga os quartos mais modernos. O lobby suntuoso e o Author’s Lounge também se encontram desse lado do rio.

Do outro lado ficam restaurantes, o spa, o fitness center e a escola de culinária The Oriental Cooking School, harmoniosamente espalhados pelos jardins da propriedade.

Os quartos

O hotel conta com 331 quartos, incluindo 60 suítes, que se dividem entre diferentes alas da propriedade. Ficamos hospedadas no prédio centenário do hotel, charmoso e elegantérrimo. Minha suíte era virada para o rio e tinha uma decoração de muito bom gosto e “aquele” toque de sofisticação característico dos hotéis do grupo Mandarin Oriental. Eu já sabia que o hotel era deslumbrante, mas não podia imaginar o quanto.

Minha suíte contava com uma cozinha, um lounge, uma mesa virada para o rio, e uma cama king-size espetacular. Confesso que durante minha estadia por lá sentia muito pouca (ou quase nenhuma) vontade de sair de um quarto tão lindo. Simplesmente encantador!

 

Gastronomia

O Mandarin Oriental Bangkok tem 11 restaurantes e bares, incluindo dois nomes de peso: o Bamboo Bar, eleito o melhor bar da Tailândia pelo prêmio Asia’s 50 Best Bars,  o estrelado restaurante Le Normandie. Esse último com duas – sim, duas – estrelas Michelin.

O Sala Rim Naam e o Terrace Rim servem culinária Thai de alto nível às margens do rio, uma experiência gastronômica maravilhosa. No Sala Rim, o hóspede pode assistir a um belíssimo show de dança Thai (foto acima). O Lord Jim serve frutos do mar, e o Ciao Terrazza culinária Italiana. Kinu by Takagi (foto abaixo) é o restaurante japonês do hotel, e o The China House serve um buffet de Dim Sum num cenário retrô que tem como inspiração a Shanghai dos anos 30.

O The Verandah tem decoração linda de morrer e serve pratos da culinária ocidental e clássicos tailandeses com  cardápio all-day dining. O Riverside Terrace é um restaurante sofisticado às margens do rio, e serve pratos grelhados com vista privilegiada.

E por fim, o meu preferido, o Author’s Lounge, lindo até não poder mais. Foi ali que tomamos um chá da tarde maravilhoso, com petit0-fours, sanduichinhos, scones e os mais lindos docinhos da cidade. Divino!

 

O Spa

No lindo Spa do Mandarin Oriental Bangkok recebemos uma massagem relaxante com óleos de 90 minutos (a minha primeira massagem em um tatame), seguida de um delicioso chá de gengibre. O spa é muito bem equipado e sua equipe nos recebeu de forma gentil e profissional. A gama de massagens oferecida é impressionante, e sem dúvida o spa do hotel é um dos melhores que já tive o prazer de visitar.

Health Center

O Health Center do hotel tem instalações de cair o queixo. Uma academia de ginástica completíssima, com tudo o que o hóspede precisa para treinar (e bem) durante sua estadia por lá.

Na nossa primeira manhã, fomos convidadas a participar de uma aula de Muay Thai na academia do hotel. O professor era gentil e eficiente, e a aula foi ótima. Eu já havia treinado Muay Thai e já adorava essa modalidade de exercício. Sendo assim, foi bom relembrar um pouco a técnica e desferir bons chutes e socos estando no verdadeiro berço do esporte.

The Oriental Cooking School

A Escola de Culinária do Mandarin Oriental Bangkok é um capítulo à parte! Linda, organizada e com um pequeno auditório, que não deixa nada à dever às grandes escolas de gastronomia do mundo. Já vale a visita ao hotel de tão estruturada e profissional.

O Chef Narain Kiattiyotcharoen era um craque, carismático, e apaixonado pela gastronomia tailandesa e nos encantou com suas explicações sobre os ingredientes e temperos usados em sua cozinha. Aprendemos sobre os diferentes tipos de pimentas, como fazer leite de côco caseiro (só se usa o caseiro na Tailândia) e ainda algumas receitas tradicionais.

A entradinha Miang Khum (foto acima), a famosa sopa Tom Kha Gai e o Kwai Yat Sai Graphrao Moo, crepe tailandês com recheio de porco e manjericão. Tudo de comer rezando!

Hospitalidade

Nossa estadia no Mandarin Oriental Bangkok foi verdadeiramente extraordinária. Eu não tinha dúvidas que seria tudo perfeito, mas me impressionei com o carinho e atenção com os quais fomos recebidas.

Desde a nossa chegada, quando recebemos as boas-vindas da equipe do hotel, incluindo o GM e a Diretora de Comunicação, até os delicados presentes, as atividades incríveis e o alto nível de profissionalismo e serviço. Foi uma aula de hotelaria em um dos hotéis mais lindos que já me hospedei. Simplesmente impecável! Bravo, Mandarin Oriental Bangkok!

 

Mandarin Oriental Bangkok

Endereço: 48 Oriental Ave, Bang Rak, Bangkok 10500, Tailândia

Telefone: +66 2 659 9000

www.mandarinoriental.com

@mo_bangkok

Tarifas a partir de US$700

Categoria FFtravels

*****

Localização no mapa

"/>

Tailândia

Mandarin Oriental Bangkok

Mandarin Oriental Bangkok Meu caso de amor com o hotel Mandarin Oriental Bangkok começou há muito, muito tempo atrás. Mais precisamente em 1995, quando botei os pés pela primeira vez na Ásia, exatamente na minha querida Bangkok. Começava uma aventura no continente, que misturava trabalho e viagens, e que durou um ano. Escolhemos iniciar pela […]

Six Senses Samui

Six Senses Samui A primeira vez que fui a Koh Samui tinha 20 e poucos anos e viajava pela Ásia com uma mochila (enorme) nas costas. A Tailândia foi a minha primeira parada no continente, onde chegava para uma estadia de um ano dividido entre viagens e uma experiência profissional na hotelaria em Hong Kong. […]

Wellness na Tailândia

Wellness na Tailândia: turismo de bem-estar em um país que faz bem à alma Recentemente fui convidada para fazer uma viagem à Tailândia para conhecer o Turismo de Wellness, ou turismo de bem-estar, no país. Foi a primeira vez que fiz uma viagem nesse formato: como convidada; com pessoas que conhecia pouco; e com um roteiro de […]